Minha Casa Minha Vida tem meta de alta para 2018

Como já era de se esperar o Programa Minha Casa Minha Vida do Governo Federal apresenta metade alta para 2018, essa meta é para o primeiro semestre do ano com o objetivo de beneficiar ainda mais famílias que buscam pelo sonho da casa própria.

A medida foi anunciada pelo Ministro da Fazenda, Guido Mantega, pela Ministra do Planejamento Miriam Belchior e pelo presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins.

Segundo o Ministro Mantega a medida mais importante que deve ser tomada é a manutenção é a regra da segunda fase do programa que termina no final desse ano de 2014 para poder dar segmento a terceira fase que tem inicio em 2015 e vai até o ano de 2018.

Com a manutenção das regras do programa a contratação de novos financiamentos não será interrompida na passagem de um ano para outro.

Uma decisão certa para o programa Minha Casa Minha Vida tem meta alta para 2018

A continuidade do programa, além de gerar mais imóveis para a população, também tem a oferecer a permanência de , pelo menos, 500 mil trabalhadores que são envolvidos diretamente nas obras do Programa Minha Casa, Minha Vida. As empresas que trabalham na construção dos imóveis já podem procurar a Caixa Econômica Federal  e pedir para que analisem os projetos até o final do ano de 2018 para que o financiamento já possa ser liberado a partir de janeiro de 2019.

Minha Casa Minha Vida

Minha Casa Minha Vida. Imagem:divulgação

A ampliação do programa Minha Casa Minha Vida já havia sido anunciada pelo governo em setembro de 2014, além disso também foi anunciada a prorrogação por mais 4 anos o regime especial de tributação  que é aplicado no programa.

Minha Casa Minha Vida tem meta de 350 mil unidade para 2018 com faixa intermediaria de beneficiários

O presidente da CBIC afirma que o governo pretende criar grupos de trabalho para a criação de uma nova faixa que seja intermediaria, pois atualmente o programa Minha Casa Minha Vida atende duas categorias:

– As famílias com renda até R$ 1,6 mil pagam prestação de R$ 80 mensais.

– As famílias que ganham mais de R$ 1,6 mil pagam R$ 300.

O programa Minha Casa Minha Vida promete mudanças para o ano de 2015 beneficiando ainda mais famílias brasileiras.